Identificação molecular de Elasmobrânquios

Graduanda: 

Jéssica Cardoso Silveira

Resumo:

Atualmente os elasmobrânquios (tubarões e raias) estão entre os vertebrados mais ameaçados de extinção. Através da exploração pesqueira diferentes espécies são capturadas, incluindo as que estão na lista de animais em extinção da IUCN. A quantidade de tubarões e raias capturados atualmente são subestimados, pois as estatísticas pesqueiras atuais não possuem dados confiáveis em relação á quantidade correta das espécies capturadas.  Em virtude da grande similaridade interespecífica e a remoção da cabeça e nadadeiras dos espécimes capturados, a identificação morfológica se torna inviável, impedindo a quantificação correta dos animais capturados. Como relatado pelo próprio IBAMA, somente cerca de 20% dos animais capturados no Brasil recebem alguma identificação, muitas vezes restrita ao nome vernáculo (que pode ser aplicado a mais de uma espécie) ou ainda, somente como tubarões e raias. Espécies identificadas incorretamente, além de subestimar a estatística pesqueira, também influenciam diretamente nas medidas conservacionistas, uma vez que os indivíduos indicados como espécies vulneráveis não são identificados e portanto não são amparadas pelas leis que, teoricamente, iriam protege-las. Diante o exposto, o  estudo pretende identificar as espécies de elasmobrânquios comercializados no mercado publico do município de Florianópolis, SC. Utilizando a  técnica molecular Barcode, pretende-se extrair e sequenciar o gene mitocondrial Citocromo Oxydase I (COI) para identificar corretamente as espécies que são comercializadas no local. Os dados obtidos neste levantamento irão colaborar com os estudos e conhecimento acerca dos elasmobrânquios, pois constituirá um banco do patrimônio genético desses animais para a região.